Para os profissionais da Geografia o futuro se constrói agora


Estuda a distribuição da população e as consequências econômicas, sociais, culturais, políticas e históricas

A estreita ligação entre a geografia e a necessidade de preservação do planeta impulsionou essa atividade. Hoje, o Geógrafo atua fortemente no campo, na elaboração de estudos de impacto ambiental e na análise das mudanças drásticas na paisagem e no clima, decorrentes dos desastres provocados pelo homem. Cabe também a esses profissionais sugerir soluções para a ocupação do solo de maneira racional, sem agressões ao meio ambiente. O Geógrafo é ainda bastante solicitado para estudar a distribuição das populações sobre todas as regiões e analisar suas consequências econômicas, sociais, culturais, políticas e históricas.

História da profissão – A chegada da família real portuguesa ao Brasil em 1808 trouxe uma série de inovações, entre elas os engenheiros-geógrafos, contratados para verificar as condições de algumas regiões brasileiras. Na década de 1930 a profissão começou a se fortalecer. Nessa época, foram criados o Instituto Geográfico e Cartográfico (IGH), o Conselho Nacional de Geografia e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em 1934, no mesmo ano em que se iniciavam os cursos de geografia e história na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo (FFCL/USP), foi fundada a Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB) em São Paulo. A profissão de Geógrafo, no entanto, só foi regulamentada em 1979, com a lei 6.664, de 26.06.

Áreas de atuação e atribuições profissionais – Tanto na esfera pública como na privada, em atividades técnicas, de planejamento e gestão os Geógrafos atuam em três principais frentes: estudos ambientais, planejamento urbano e pesquisas científicas. Como em outras profissões ligadas à área de ciências básicas, os Geógrafos podem exercer as atividades de professor universitário e professor escolar. De acordo com a lei nº 6.664 é da competência destes profissionais o exercício das seguintes atividades e funções:

Reconhecimento, levantamentos, estudos e pesquisas de caráter fisico-geográfico, biogeográfico, antropogeográfico e geoeconômico e as realizadas nos campos gerais e especiais da Geografia, que se fizerem necessárias:

– na delimitação e caracterização de regiões e sub-regiões geográficas naturais e zonas geoeconômicas, para fins de planejamento e organização fisico-espacial;

– no equacionamento e solução, em escala nacional, regional ou local, de problemas atinentes aos recursos naturais do País;

– na interpretação das condições hidrológicas das bacias fluviais;

– no zoneamento geo-humano, com vistas aos planejamentos geral e regional;

– na pesquisa de mercado e intercâmbio comercial em escala regional e inter-regional;

– na caracterização ecológica e etológica da paisagem e problemas conexos;

– na política de povoamento, migração interna, imigração e colonização de regiões novas ou de revalorização de regiões;

– no estudo físico-cultural dos setores geoeconômicos destinado ao planejamento da produção;

– na estruturação ou reestruturação dos sistemas de circulação;

– no estudo e planejamento das bases físicas e geoeconômicas dos núcleos urbanos e rurais;

– no aproveitamento, desenvolvimento e preservação dos recursos naturais;

– no levantamento e mapeamento destinados à solução dos problemas regionais;

– na divisão administrativa da União, dos Estados, dos Territórios e dos Municípios.

 

O futuro se constrói agora – Em homenagem aos profissionais da engenharia e geociências, o CREA-SC lançou no dia 20.09 a campanha: O futuro se constrói agora. O objetivo é enfatizar a importância da atuação dos profissionais da área tecnológica para a retomada do crescimento e posicioná-los como agentes do desenvolvimento econômico, qualidade de vida e segurança da sociedade, tanto no meio urbano quanto rural.

“Ressaltar a importância, representatividade e força dos nossos profissionais e profissões são compromissos importantes da nossa gestão, refletidos nesta campanha”, assinala o presidente do CREA-SC, Eng. Agr. Ari Geraldo Neumann.

“Muito se espera do nosso futuro. Que ele seja próspero e traga um novo período de oportunidades. Mas o que determina o futuro são as nossas ações de hoje. Para o CREA-SC, o tão sonhado projeto de um novo país já começou. A sociedade pode contar com a autoridade técnica dos profissionais da engenharia, agronomia e geociências para viver uma nova era de desenvolvimento. Porque se a economia é uma roda, não há ninguém mais capacitado para fazer a engrenagem girar”.

 

FONTE: CREA-SC